Repertório Português de Ciência Política

Repertório Português de Ciência Política

O projecto de investigação tem, pelo menos, cinco anos de maturação e de lançamento de caboucos, bem como quase vinte e cinco de pesquisas parcelares.

Pretende agora lançar-se um sistema generalizado sobre redes informativas em matérias de ciência política.

 

A ideia de obra

O Repertório tem uma ideia de obra ou de empresa. Assenta num trabalho de Escola. Parte de trabalhos universitários típicos do cursus  universitário.

Neste sentido, não quer ser mais um grosso fratras de milhentas fichas cinzentonas, marcadas pela hiper-informação. Nem uma inócua e neutra base de dados, com muitos nomes e listas infindas de cronologias.

 

Forma final de apresentação

A forma de apresentação prevista para o resultado do trabalho é a do clássico abcedário. Prevemos a edição de cinco tomos com cerca de 2 500 páginas, utilizando o corpo 9 (cerca de 7,5 milhões de caracteres, sem contar os espaços).

Haverá cerca de 8 000 entradas autónomas e outras tantas remissões.

Um dos tomos será constituído por anexos com sistemas e listas informativas remissivas.

 

Dar colectivo à matéria

À maneira de algumas experiências estrangeiras, pretendemos colectivizar a matéria pelo recurso a um corpo de consultores que irão rever o material já preparado e aconselhar novas pesquisas complementares.

Nesse sentido, com consultores, pesquisas e revisores, entra-se-á na fase fundamental do trabalho de equipa.

 

Produto final

O produto final tanto se concretizará no clássico papel em cinco tomos, como através de

Uma edição electrónica em CD ROM.

Grande parte do material estará disponível on line pela Internet.

Aliás, parte do material da pesquisa já pode ser consultado em http://www.iscsp.utl.pt/cepp.

 

Edição electrónica

Visando a edição electrónica, importa agora o reforço do trabalho no âmbito informático, principalmente pela constituição de um banco de imagens, abrangendo:

Autores, aspectos gráficos de bibliografia, registos de acontecimentos e de simbólicas políticas, com a consequente:

Administração técnica e burocrática de um lote de material que estará disponível pela Internet.

Base de consulta pública

O acervo recolhido constituirá uma base de consulta pública, com especial incidência no âmbito pedagógico, tanto para licenciaturas e mestrados como para eventuais cursos de formação para a cidadania.

 

Conteúdo do Repertório:
As palavras e os conceitos

Inventário e pesquisa do léxico da ciência política, nomeadamente pelo recurso à etimologia e à evolução semântica, com indicação dos processos de recepção dos termos.

Determinação dos conceitos políticos, da vertente filosófica à análise sistémica, passando pela própria linguagem do direito público.

 

Pensamento Político

Bibliografia histórica: determinação bibliográfica do património comum civilizacional dos grandes autores dos nossos 25 séculos de civilização ocidental.

Listagem bibliográfica dos mesmos, com indicação das fontes primárias e das fontes secundárias e referência às bibliotecas electrónicas disponíveis.

 

Teoria Política

Listagem e análise dos principais autores por área cultural e por época histórica

Recensão breve das principais obras políticas. Cerca de quinhentas entradas.

 

Ideologias

Inventário das ideologias e do processo da respectiva difusão

Dicionário dos ismos e do subsolo das ideias que os organiza. Com indicação dos elementos emocionais e míticos que andam associados ao elemento racional.

 

Redes Informativas

Será estabelecido o processo das redes informativas da ciência política, especialmente no seu relacionamento com os actuais meios electrónicos

Classificam-se cerca de 5 000 sites, mas também se indicam de forma clássica bibliotecas, editoras, universidades, centros de pesquisa e associações profissionais.

 

Cronologias

Procede-se a um inventário cronológico de factos políticos, principalmente da história portuguesa contemporânea, utilizando-se o método do dia a dia (cerca de cinco entradas por mês desde 1820 no tocante à história portuguesa).

O processo estende-se especialmente à história do presente da segunda metade do século XX, com listas de factos da história europeia e do grande ambiente das relações internacionais.

 

Eleições

Faz-se uma listagem exaustiva das várias eleições parlamentares e presidenciais portuguesas, com indicação pormenorizada dos resultados e da distribuição dos mandatos.

Faz-se ligação ao processo das leis eleitorais e das relações com os governos, com indicação das principais medidas e debates ocorridos.

 

Governos

Será estabelecida uma exaustiva lista dos governos portugueses de 1820 à actualidade com indicação completa dos respectivos membros e tempos de duração.

Abranger-se-á as principais medidas tomadas pelos mesmos e as ligações às actividades parlamentares, bem como ao ambiente político geral.

 

Revoltas

Indicam-se todos os processos de revoltas, sedições e outras formas violentas de reacção ocorridas em Portugal desde 1820, procedendo-se ao respectivo inventário cronológico e sistemático.

As turbulências constituem, de facto, um normal anormal do processo político português, estando na base da dinâmica do processo político.

 

Partidos, movimentos e facções

Faz-se um inventário cronológico e sistemático de todos os partidos, movimentos e facções desde 1820 com indicação dos líderes e das principais actividades desenvolvidas.

Com efeito, ultrapassa-se em muito os partidos formais, procurando atingir-se os grupos de pressão, as facções e as próprias sociedades secretas.

 

Regimes Políticos

Inventário cronológico e sistémico dos vários situacionismos portugueses desde 1820, através do método da análise tridimensional do poder.

Analisam-se cerca de meia centena de regimes portugueses, estabelecendo-se os modelos de forma, imagem e sede do poder, com recurso aos grupos sociais e às influências externas.

 

Classe política

Inventaria-se sob a forma de processo individual a classe política portuguesa desde 1820, analisando o respectivo cursus honorum.

São estabelecidos linhas biográficas e curriculares fundamentais de cada um dos actores políticos portugueses.

 

Listagens bibliográficas

Para além da bibliografia histórica, com recurso a fontes primárias e secundárias e acessos a bibliotecas electrónicas, estabelece-se também

Cerca de 10 000 referências bibliográficas indexadas de obras de ciência política da actualidade.

 

Sínteses biográficas

Cada autor e actor referenciado é objecto de uma síntese biográfica de de uma lista bibliográfica. Sempre que possível reproduzida a respectiva imagem. Haverá assim um processo selectivo fundamental, visando ressaltar os elementos de ligação ao conteúdo politológico procurado.


 

Comments are closed.