Farpas

Segunda-feira, Maio 26, 2003

 

 

 

O ponto de não regresso

A actuação da Polícia Judiciária na notificação a Herman revela que atingimos um claro “ponto de não regresso”. Se uns estranham que tudo tenha decorrido durante um domingo, na véspera da emissão de um programa que entra em casa de milhões de portugueses, outros, mais prudentes, acreditam que o processo deve ter obedecido a uma estratégia que não tem que ser divulgada. Continuemos a confiar. Continuemos a não cair na tentação da justiça popular.

 

Viva Cabo Verde

Entre a morabeza e a saudade, assistimos à intervenção emotiva do povo da cidade da Praia durante a emissão do programa da RTP, dito “Operação Triunfo”. Afinal, esta comunidade de afectos que nos irmana, este avivar de significações partilhadas ainda é capaz de nos mobilizar. Que boa notícia, nesta má semana, de muitos enevoados cinzentos…

Não falamos da saudade lusotropical de um império que já não há. Falamos do futuro. Porque, aqui e agora, o nosso Portugal bem português é cada vez uma terra multicultural, onde muitos são marcados pela pluralidade de pertenças, porque tanto são de Cabo Verde como de um qualquer pedaço da Lusitânia. O crioulo já é uma das línguas nacionais portuguesas e devia ser tratado, não como coisa exótica ou pedaço da memória, mas antes como coisa bem enraizada dentro de nós, como peça já essencial à nossa unidade na diversidade. Importa que o ensino se adeque a este ritmo. Para bem de Portugal, de Cabo Verde e de outras gentes de significações partilhdas, como as do Brasil, de Angola e outras sete partidas da nossa grande família que diz “saudade de futuro”.

Comments are closed.