Sobre os mesmos cânones, há interpretações diversas

Sobre os mesmos cânones, há interpretações diversas, conforme o púlpito do eclesiástico que emite o sermão. Tal como sobre o conceito de direito à vida. Porque, no rigor da postura católica, a própria lei vigente permite “a morte de seres humanos inocentes”. Julgo que quem quer ser católico deve obedecer às regras da instituição e defender os respectivos valores e admito que, no foro especial da respectiva autonomia, sejam punidos espiritualmente os que cometem aquilo que consideram infracções. Julgo que, a nível do Estado e da lei penal, não podemos ficar dependentes de tais concepções do mundo e da vida. De outra maneira, não tardará que aqueles que pisam os terrenos da heresia possam ser relaxados para o braço secular. A Deus o que é de Deus, a César o que é César e nem aos agentes de Deus nem aos de César pode pertencer tudo! Ainda não voltámos a Bizâncio…

Comments are closed.