apesar de nacionalista e europeísta, também sou federalista

Eu que, apesar de nacionalista e europeísta, também sou federalista, mais à Proudhon do que à Bismarck, mantenho a proposta do tradicionalismo consensualista e anti-absolutista: o “dividir para unificar” do primeiro projecto europeu. Primeiro, federalizar dentro de cada Estado, nomeadamente pelas auto-determinações nacionais que os restos de impérios proibiram. Segundo, lançar, também intra-estadualmente, os processos regionalizadores que os jacobinismos centralistas têm boicotado. Terceiro, utilizar o princípio da subsidiariedade não apenas a caminho de Bruxelas, mas devolvendo poderes à governação de proximidade: das autarquias, das regiões e dos Estados. A burocratite centralista, herdada do absolutismo, com a tradicional cunha  para a obtenção de uma certidão a tempo, pode transformar a democracia vigente num clube fechado, com reserva no direito de admissão.

Comments are closed.