Quando o bem toca no coração das pessoas…

Em Fevereiro de 2004, juntamente com Eurico de Figueiredo, Fernando Condesso, Carlos Antunes, Rui Polónio Sampaio e Paulo Mendo, subscrevi a necessidade de demissão do actual Procurador-Geral da República. Por isso, compreendo os desabafos de Paulo Pedroso na entrevista ontem concedida à SIC: “Sinto que houve violação do dever de imparcialidade… O senhor PGR avocou o processo e a partir daí assumiu responsabilidades”.

 

Não conheço pessoalmente o deputado eleito Paulo Pedroso, mas conheço bem a força anímica e a inteligência da Ana Catarina Mendes, minha antiga aluna. E daqui lhe envio publicamente, toda a minha amiga solidariedade, face a mais uma devassa à sua intimidade, neste ambiente inquisitorial-pidesco. Apenas lhe digo que as palavras que fomos obrigados a ler vos colocam na eternidade da beleza. Quem tem sentimento, sente quando o bem toca no coração das pessoas…

Comments are closed.