O Alcorão segundo Maomé…

Obrigado a consumir a hiperinformação desta aldeia global que nos transmite “ad nauseam” a série de quarenta e sete pontapés que, há dois anos, tropas britânicas emitiram contra manifestantes iraquianos, noto que se anuncia a circunstância de norte-americanos estarem a elaborar planos para eventual coacção cirúrgica contra o Irão, enquanto o nosso ministro dos estrangeiros tem a louvável inciativa de acabar com a autonomia estatutária da FIFA e da UEFA, propondo um campeonato euro-árabe de futebol, a fim de ultrapassarmos tanto a crise dos “cartoons” como a eventual pressão da república imperial contra os persas. Concordamos totalmente com o biógrafo de Viriato e Afonso Henriques e insigne memorialista do PREC, dado que esse campeonato até poderia ser previamente ensaiado em palco, tendo como clímax a mãozinha de Deus/Alá, dando à equipa vencedora direito a golo madjeriano, sem cartão vermelho. Consta até, nos meios diplomáticos domésticos, que foi encomendado romance a um ilustre prémio Nobel, com o título “O Alcorão segundo Maomé”, texto este que, visando superar anterior erro do Estado português, será desde já indicado para prémio internacional, estando garantido um prefácio do ministro e um pósfácio de vários descendentes directos do Profeta, desde o chefe da comunidade ismaelita ao senhor duque de Bragança, com notas pé-de-página de Rui Zink e caricaturas de António, segundo texto de Miguel Esteves Cardoso.

Comments are closed.