Out 13

Banqueiros lusitanos pressionam

Banqueiros lusitanos pressionam para que acabe a política em Portugal. Proposta de revisão institucional subordina o poder político ao poder financeiro. Desta é que o programa de suspensão da democracia parece viabilizar-se. Prefiro o banqueiro anarquista de Fernando Pessoa.

O porta-voz salgado dos banqueiros declara “ter confiança”, nos “políticos deste país”, para que se chegue a “uma plataforma de entendimento”. Espero que os feitores dos ricos não mantenham o estado a que chegámos como simples PPP (parceria público-privada).

Há um clube, de reservado direito de admissão, que marca o neofeudalismo desta desordem, tão minuciosamente organizada, pela incompetência que vai da Lisboa a Bruxelas e que gerou este mostrengo, entre a “fina-flor da plutocracia” e a casta banco-burocrática do rotativismo.