Testamento de Sócrates

Sócrates está a falar para os mercados através do seminário Reuters/TSF. Vou ouvindo o silogismo.

 

(1) A crise da dívida soberana é apenas uma consequência da crise financeira, por causa da falta de Estado e não por causa de excesso de Estado.

(2) A Europa, depois desta crise, ou avança ou recua, não vai ficar na mesma, tendo que haver uma resposta sistémica.

(3) Somos os melhores da Europa na resposta à crise: crescemos 1,4 e reduzimos o défice em 2, são factos, não são opiniões.

(4) Qual década perdida? Fomos o melhor governo de Portugal de todas as eras. E aí vão números da campanha para as directas no PS. Quem os negar está enganado. O bom e velho Estado é que decreta os números e tira o retrato.

 

“Manter o rumo e não tirar o pé do acelerador”, “é o que eu recomendo para o meu país” (testamento de Sócrates, editado hoje, aqui em directo)

 

(1) Convidem imediatamente o nosso primeiro ministro para presidente da urgente governação económica da Europa

(2) Em alternativa, coloquem-no como governador mundial do conhecimento e da inovação

(3) Nunca reduzi-lo a Reitor da restaurada Universidade Independente

(4) Chega-nos uma simples maioria absoluta no actual quadro parlamentar, ou a convocação imediata um referendo eleitoral para estas maravilhas.

Comments are closed.