Farpas soltas de campanha

Passos continua a marcar a agenda, vamos a ver com que resultados. Para além da interrupção voluntária da gravidez, aos microfones da rádio católica, veio agora denunciar um feliz contemplado num concurso público de um só concorrente sobre actividades jurídicas de instrução de processos da extinta D. G. de Viação, por acaso a universidade que também avalia as novas oportunidades, a católica também.

No próximo dia 5 de Junho, para além de nos condicionarem a eleição de deputados à plebiscitação de um primeiro-ministro e à ratificação do acordo com os credores internacionais, parece que também temos que referendar as coligações negociais feitas entre os principais “mass media” e as empresas de sondagens que os mesmos contrataram….

Daqui a uns estão a dizer-nos: têm de escolher entre a Eurosondagens, o Magalhães concordatário e a Intercampus! Eu preferia discutir a relação entre o conceito estratégico dos centros de decisão nacionais e as opções da agência de investimento de Tripoli, para concluir como o capital não tem pátria e a banca não pode mandar banqueiros em pregações de moralidade política…

Comments are closed.